quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Exercício de revisão

Recebi a primeira leitura anotada do livro que está (quase) pronto. Uma amiga indicou várias passagens que teve dificuldade para compreender.

É muito bom revisar o texto a partir de um olhar externo. Ajuda a ver os problemas que, por familiaridade, não conseguimos enxergar.

Um trecho tinha a anotação "Achei difícil de compreender. Muitas ideias intrincadas".

Era assim:

"Eu gosto de pensar que não há diferença entre as relações hetero e as lésbicas, em linhas gerais essa ideia se sustenta. Mas quando vejo o tempo que arrastamos em relações muito ruins, preciso militância para evitar a associação entre mulheres, maternidade e paciência. Prefiro explicar a tolerância pela escassez: as lésbicas sabem (ao menos nós antigas sabíamos) como é difícil encontrar uma mulher para transar. Esperei Melissa melhorar mara mandá-la embora de meu apartamento, e durante essa espera esqueci do que tinha decidido."


Ficou assim:

"Eu gosto de pensar que não há diferença entre as relações hetero e as lésbicas, em linhas gerais essa ideia se sustenta. Mas quando vejo o tempo que arrastamos em relações muito ruins, preciso lembrar de alguns princípios básicos da militância feminista e repetir para mim mesma que não existe nenhuma relação obrigatória entre ser mulher e ter instinto maternal. Uma mulher não precisa amparar e proteger sua parceira contra todas as ameças do mundo e principalmente não precisa ter paciência infinita com toda inconstância emocional. Eu repito para mim mesma que essa regra não existe porque tenho muita dificuldade de escapar dela. Talvez eu esteja desatualizada, mas as lésbicas sabem (ao menos nós antigas sabíamos) como é difícil encontrar uma mulher para transar. Isso talvez explique a paciência excessiva que muitas vezes me levou a becos sem saída.

Como em outras situações complicadas, esperei Melissa melhorar da depressão para mandá-la embora de meu apartamento, e durante essa espera esqueci do que tinha decidido."